Mudanças no Padrão de Consumo de Tecnologia

Para que uma inovação tecnológica possa ser amplamente adotada e operar em pleno funcionamento é fundamental que o ‘Ecossistema’ no qual ela está inserida ofereça todo o suporte necessário. Chamamos de Ecossistema Tecnológico o conjunto de profissionais, conhecimentos, serviços, instituições, máquinas, equipamentos, insumos, matérias-primas, fontes de energia e infraestrutura exigidos por uma determinada inovação tecnológica.

Quanto mais inovadora e disruptiva for a tecnologia que você está propondo ao mercado, mais evidentes serão as restrições impostas pelo ecossistema, se este ainda não estiver preparado.

Já imaginou qual ecossistema tecnológico será necessário para que o veículo elétrico seja uma realidade em nosso dia a dia?

Quando um mercado não está preparado para adotar uma nova tecnologia, recebemos muitas objeções dos potenciais clientes.

Carro Elétrico Meme

Voltando ao exemplo do veículo elétrico, imagine agora quantos novos conhecimentos os profissionais das oficinas mecânicas precisarão absorver.

Será que estarão dispostos a tal mudança? Serão necessários novos profissionais?

Será que compradores irão abandonar algo que aprenderam a confiar por décadas para adotar algo novo?

Dirigir um veículo elétrico será o mesmo que dirigir um veículo tradicional? Será que é seguro?

Mesmo que seu produto não exija um ecossistema tão complexo quanto o do veículo elétrico, sua equipe de vendas pode se deparar com objeções similares as citadas acima, quando estivermos propondo mudanças no padrão de consumo.

As empresas de tecnologia têm apostado em profissionais como Evangelistas e Embaixadores, cujos desafios são justamente reduzir essas barreiras de adoção, evitando que essas objeções sejam tudo o que a equipe de vendas ouça dos clientes.

Muitas empresas se deparam com um dilema, que se parece muito com o slogan de um famoso biscoito:

Os clientes não compram minha nova tecnologia porque eles não a conhecem, eles não a conhecem porque nunca a compram.

Quando a barreira de adoção envolve as bases da formação dos profissionais, o dilema pode ser o seguinte:

Os profissionais não aprenderam essa tecnologia durante sua formação, logo não a usam no mercado de trabalho. Se não se propõem a usá-la, nunca aprenderão essa nova tecnologia.

Mas o que é o Evangelismo Tecnológico?

Evangelismo não é ser um vendedor. Não é insistir com as pessoas, pressionando-as, forçando-as, esmagando-as ou subjugando-as. O evangelismo é levar uma mensagem, é relatar boas notícias.

Richard C. Halverson

Diante do cenário apresentado, o desafio do Evangelista Tecnológico é mudar o padrão de consumo dos potenciais clientes. Antes que possa parecer estranho ou cause qualquer desconforto religioso, a palavra “evangelismo” vem da palavra grega “euangelizomai”, cuja definição é literalmente “levar boas-novas.”

O evangelista irá disseminar as novidades e descobertas sobre a inovação tecnológica em eventos, palestras, congressos, conferências, redes sociais, blogs, grupos de discussão e para a impressa especializada.

Evangelismo é só Marketing… mas não é propaganda!

O Evangelismo é fazer marketing de maneira sutil, mas muito poderosa. O evangelismo é baseado no marketing de conteúdo:

Evangelismo Tecnológico

3 ‘C’s do Evangelismo Tecnológico

Nós, da Guiden, utilizamos estratégias de Evangelismo Tecnológico com dois objetivos principais:

Abstração de complexidade

Como o mercado ainda está se preparando para aceitar uma inovação, os potenciais clientes podem não estar tão familiarizados com todos os termos e tecnologias do seu produto. Cabe ao evangelista facilitar a compreensão, despertar o interesse e, principalmente, demonstrar na prática, que essa tecnologia inovadora é viável e está ao seu alcance.

Relevância

Este é o principal desafio do evangelista: demonstrar para o público-alvo porque essa inovação tecnológica é tão importante. Lembre-se que, no momento que uma inovação é proposta, existe algum produto tradicional, consolidado no mercado, e sua inovação substitui uma tecnologia mais antiga, porém bem estabelecida. O evangelista deve promover a conexão entre a inovação e a realidade do público-alvo.

Nesse momento, eu espero que você tenha notado que eu estou evangelizando sobre o evangelismo tecnológico. Para que essa estratégia seja ainda mais relevante para sua empresa, preparamos um case sobre esse tema. Leia o artigo e descubra como a Guiden potencializou o Marketing da E. TECH BRASIL.

Se você quer novas estratégias para impulsionar o Marketing e as Vendas de seus produtos industriais e tecnológicos, fale conosco.


Leia Também

Guiden potencializa o Marketing da E. TECH BRASIL

Marketing e Vendas de Tecnologia e Produtos Industriais

Marketing de Tecnologia